Sempre lidei com alimentos desde mocinha. Depois, ja mãe, me vi com o dilema: como fazer desta hora trágica para meu filho, algo prazeroso?

Lidando com crianças , como faço até hoje. penso nesta dificuldade pela qual a maioria dos pais passam: como fazer meu filho comer frutas, verduras e legumes?

Meu pai oferecia $5,00 para cada coisa que comêssemos do que detestávamos…. Coitadinho! Com 5 filhos, se bobeasse iria perder salários… e ai, reparei outra coisa: sendo criados pelos mesmos pais e da mesma forma, cada um ja nasce com certa predisposição: eu sempre comi melhor que meus irmãos ..sempre gostei de experimentar…e muitas coisas que meus pais nem tinham o habito de consumir, eu pedia…. queria testar….Minha mãe me chamava de “bichenta”!    🙂      e sempre dava um jeito de  colocar toda gama de coisas ao meu dispor…… mãe sàbia!

A primeira coisa que vem na cabeça quando a gente tenta dar legumes, verduras e frutas para as crianças que, além de não comerem ainda fazem berreiro, é tentar amarra-los e enfiar goela abaixo a beterraba, a cenoura, a couve, a maça, a pera.

Há uma maneira mais fácil de conseguir isso.

Todos sabem que frutas, verduras e legumes são fundamentais para uma alimentação saudável.

Infelizmente mesmo você explicando para a criança que precisa de uma alimentação correta que incluí verduras, frutas e legumes eles não aceitam e muitos pais acabam deixando que eles se alimentem de uma forma incorreta. Afinal é bem mais fácil, ceder… 🙁

Quando a criança não quer se alimentar como precisa, é necessário que os pais quebrem todos os preconceitos. Principalmente os deles próprios !

O que adianta você querer que seu filho se alimente bem se você não dá o exemplo?

Pegue seu filho leve-o a feira ou sacolão.  Mostre a eles: beterraba (roxa), batata (amarela), cenoura (laranja), alface (verde) e tomate (vermelho). Até cores eles aprendem nesta investida!
Deixe-o preparar o suco da família e fale das vitaminas que moram na fruta.

Faça a regra do 3: sempre comer 3 pedacinhos de tudo que tinha preparado de verduras, frutas e legumes e claro aquela disfarçada junto com o arroz e feijão.

Mostre a eles que mesmo o chuchu que não é assim tão atraente você come porque você também precisa das vitaminas que moram nele.

Percebo que o que acontece, certas vezes, é que além da aversão imediata da criança ao alimento, há também pais que querem que filhos comam, o que eles, como adultos, “acham” que a regra, muda: – eu não preciso, mas você tem que comer!

O que é isso?

Também o comodismo, afasta possibilidades: deixa-los se aproximar das frutas, ou legumes, manuseando, familiarizando-se, causa: sujeira, bagunça e “gasto de tempo”. Perde-se assim, uma oportunidade única: foi naquela” hora, q a criança se interessou..não a que seria conveniente para você.

Na verdade, temos que ter paciência: oferecer uma, duas vezes…Tentar mudar o aspecto, apresentando se possível, de forma lúdica, sem obrigações, que transformam aquela hora de prazer, em martírio.

Aqui, falei de crianças, mas sabemos que ha muitos “marmanjos” que precisam rever suas posições sobre o assunto.

  • Sempre digo: experimente! Se não gostar, pode se levantar e cuspir…mas não aceito um “não gosto” sem ter provado antes.
  • Regra de prato colorido é valida.
  • Regra de variar a apresentação do alimento idem.
  • Observar reações – afinal pode haver intolerâncias ou alguma alergia – faz parte.
  • Hora de se alimentar tem que ter aquela invocação de prazer; alegria; aromas deliciosos como vemos nos desenhos do pica-pau, quando ele vai flutuando atrás do aroma divino…. kkk
  • Fazer com alegria, também é miraculoso. Certa vez, hospedando um jovem americano em casa, ouvi da sua boca: adoro ouvir você  logo cedinho, cantando e ao acordar com isso,  kkk  sentir tantos aromas que não conheço…Fico imaginando o que teremos para comer… Ja se colocou nesta cena? Que delicia!

Isso torna a hora da refeição memorável e aproxima todos ao redor da mesa.

Pense nisso!

Bjs     Mimi

Com a(s) Tag(s) →